Skip to content

Bate papo entre Eduardo Marinho e Rafael Lage – República Cinema

Quer se aprofundar no tema “Malucxs de Estrada”? Assista ao bate papo entre Eduardo Marinho e Rafael Lage, que ocorreu após a exibição do corte bruto do documentário no evento da República, no RJ.

Trecho da entrevista de Robson Lira para o documentário “Malucxs de Estrada”

É a cultura de rua invadindo sua timeline!

Corte “Malucxs de Estrada”: o movimento do coração – Lançamento em breve.

Atenção: este vídeo contém cenas impróprias para pessoas caretas!

A liberdade sem conhecimento – Por Sidney Rocha

Será possível realizar um filme ativista e ainda assim tocar nas feridas internas do movimento que se pretende defender?

A radicalização da coerência implica em escolhas difíceis, mas acreditamos que certos aspectos da cultura da “malucada” devem ser trazidos à tona, mesmo que aparentemente possam ser utilizadas para reforçar estigmas e preconceitos tão alicerçados no senso comum.

É um risco que temos de correr… do contrário, seria apenas um filme romantizado, maquiado e sem as contradições tão presentes em nós humanos.

Para abrir essa nova narrativa, apresentamos Sidney Rocha, artesão, músico e teólogo.

E aproveitamos para apresentar a Banda Vibrações, nossa nova parceria na trilha sonora: http://www.vibracoes.com.br/

Para ouvir a música “Sincronia”:https://soundcloud.com/vibracoes/vibra-es-rasta-10-sincr-nia

O inicio – por Suéllen Sottani

Flagrante de abuso da prefeitura e da PM: amor partido na cidade proibida.

Durante os 2 anos de filmagens realizadas na praça Sete, centro de Belo Horizonte, para registrar os abusos da prefeitura e da Policia Militar contra os artesãos de rua, o coletivo Beleza da Margem acabou por realizar este flagrante.

Embora a situação não tenha uma ligação direta com os artesãos, compreendemos que as pessoas em situação de rua sofrem do mesmo tipo de sub-cidadania que o Estado confere aos que não se enquadram no “padrão” e revela a face cruel de um governo desumano, que não se importa em promover a ressocialização e opta pela exclusão e marginalização como política pública.

O fato aconteceu em janeiro de 2011, quando policiais e fiscais da prefeitura apreenderam o cachorro Zóiudo, amigo inseparável de Carioca, morador de rua conhecido da cidade.

Alguns dias depois, Carioca conseguiu pagar uma multa de 80 reais e retirou o cachorro do centro de controle de Zoonoses. Porém, sob o risco de seu amigo ser novamente apreendido, conseguiu pra ele um novo lar em um sitio na região metropolitana.

“Cobrança de BR”- por Obelix

Afinal de contas, cada família tem suas regras e suas cobranças… e a ‘BR’ às vezes é dura com seus filhos…

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 196 outros seguidores